A Agronomia ou Engenharia Agronômica combina conhecimentos das ciências exatas, naturais, econômicas e sociais para melhorar a qualidade e produtividade de plantações, rebanhos e produtos agropecuários. O engenheiro agrônomo é um profissional capaz de atuar em todas as etapas do agronegócio, desde o plantio da lavoura e criação dos animais até a industrialização, armazenamento, distribuição e comercialização de produtos e alimentos. Propriedades rurais de todos os portes, fazendas, granjas, abatedouros, indústria alimentícia, de sementes, de defensivos agrícolas e de rações, setor sucroalcooleiro, órgãos de defesa sanitária e universidades são alguns dos campos de atuação do engenheiro agrônomo, que pode ainda exercer a profissão de forma autônoma como consultor.

Os cursos de Agronomia e de Engenharia Agronô- mica são cursos distintos e preparam profissionais para diferentes tarefas na mesma área. Enquanto o engenheiro agrícola recebe formação com ênfase em matemática e física, o agrônomo se aprofunda nas áreas de biologia e química. A Engenharia Agrícola é voltada para a parte mecânica da agricultura, como planejamento, criação e manutenção de máquinas, entre outros. Já a Agronomia se volta para todas as etapas da agropecuária – do plantio e da criação de rebanhos à comercialização da produção.

Os engenheiros agrônomos estudam, concebem e orientam a execução de trabalhos relacionados com a produção agrícola e animal e realizam pesquisas e ensaios de modo a que os produtos sejam produzidos de forma rentável e com qualidade. O seu trabalho pode englobar um vasto conjunto de atividades relacionadas com a vida vegetal e animal.

Para exercer a carreira de agrônomo, o profissional deve ser formado no curso de bacharelado de Agronomia ou Engenharia Agronômica/Agrícola, com duração média de 5 anos, e obter o registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do estado onde trabalha. A grade curricular do curso mescla disciplinas técnicas e científicas. Os dois primeiros anos trazem maté- rias das áreas de Ciências Biológicas e Exatas, como biologia, bioquímica e estatística. Nos três anos seguintes, o forte são as disciplinas profissionalizantes, ministradas em subáreas como ciência do solo ou agricultura, entre outras. Mas há, também, aulas de gestão e administração. Boa parte da carga horária é dedicada a aulas práticas em laboratórios e fazendas experimentais.

O The Way entrevistou a abençoada Diaconisa Lilian Saldanha, formada em Engenharia Agronômica, que nos contou sobre sua trajetória profissional e acadêmica: “Tenho doutorado e mestrado na área de manejo de pragas, com enfoque em genética molecular e, posteriormente, MBA em marketing. Minha formação é técnico-científica e efetuei meu doutorado nos Estados Unidos, com iní- cio em 1997 e finalização em 2000. Em 2001, aceitei uma posição de Gerente de Registro e vim atuar em São Paulo. Adorei a vivência internacional e isso foi um diferencial na minha formação, me ajudando a encontrar novas oportunidades no mercado profissional. Quando retornei ao Brasil, após o doutorado, eu possuía características únicas (um diferencial no mercado).“ Algumas possibilidades de atuação na área são: Gerencia unidades de produção de propriedades rurais, desde o planejamento das compras até o gerenciamento de equipamentos e recursos humanos. Combate pragas e previne doenças em lavouras e rebanhos. • Defesa Sanitária: Planeja e gerencia as operações de distribuição e venda de produtos agrí- colas. Coordena programas de crédito rural para cooperativas e pequenos produtores. Projeta obras em propriedades rurais, como nivelamento do solo e montagem de sistemas de irrigação. Explora racionalmente os recursos naturais, visando a preservação do meio ambiente, em ativi 25 dades como elaboração de relatórios de impacto ambiental, manejo de dejetos, avaliação da aptidão das terras, saneamento de propriedades rurais, recuperação de terras degradadas e coordenação de projetos de reflorestamento. Gerencia o processo de industrialização de produtos agrícolas, controlando a qualidade final da produção. Pesquisa novas tecnologias e produtos. O mercado de trabalho para profissionais de agronomia é vasto no Brasil, principalmente devido à importância da agroindústria na economia do país e no crescimento do setor de energias renová- veis (álcool e biodiesel). Em nosso país tem-se as melhores oportunidades para o engenheiro agrô- nomo, tanto em órgãos do governo e empresas exportadoras ou importadoras quanto em indústrias de alimentos, sementes, adubos e equipamentos, ou grandes propriedades rurais. Há boa oferta de trabalho nas regiões que tradicionalmente têm grandes extensões de terra dedicadas à produção agrícola como Sudeste, Sul e Centro-Oeste. O mercado de trabalho para o agrônomo está aquecido e os salários, mesmo para quem inicia na carreira, são atrativos. A abençoada Lilian dá algumas dicas para quem pretende seguir na carreira: “Primeiro ore, segundo escolha uma área que você goste, que lhe entusiasme (afinal é algo que você vai fazer o resto da vida), veja uma área que você tenha afinidades, estude as possibilidades de carreira (como é o mercado, onde é possível trabalhar, como é a remuneração) e, por último, converse com profissionais das diversas áreas para entender o mercado de trabalho e sempre peça a direção de Deus“.

© Igreja Cristo Vive | Desenvolvido por ControlWork
Feito com amor.
Topo
Siga-nos:                    
Skype: cristo.vive.sp